Entrevista com a ex-aluna da Escola da Magistratura, e agora Juíza do TJDFT – Viviane Kazmierczak

27 de outubro de 2017, às 14:27, por admin

1 – Quanto tempo você estudou para o concurso da magistratura?

Da conclusão do curso de Direito à aprovação foram seis anos. No entanto, a certeza da opção pela carreira e o foco no concurso ocorreram nos últimos quatro anos, aproximadamente.

2 – Qual curso da Escola da Magistratura você fez? Em qual ano?

O curso Direito e Jurisdição, em 2012.

3 – Qual foi a importância desse curso para sua aprovação?

A inscrição no Curso preparatório para a Magistratura da ESMA foi minha primeira atitude ao optar pela Magistratura, aproveitando a oportunidade que então me foi oferecida pelo Tribunal, na condição de servidora da Casa, onde passei a trabalhar em 2011, no cargo de Analista Judiciário.O Curso Preparatório para a Magistratura da ESMA teve a importância de oferecer a base inicial paraa sedimentação dos conhecimentos exigidos no concurso.

4 – Você poderia indicar um professor que fez a diferença nas aulas da Esma?

Paulo Afonso Carmona, Carla Patrícia e Daniel Eduardo Carnacchioni.

5 – Hoje, como Juíza, você acha que valeu a pena todo o esforço?

Sim, sem nenhuma dúvida. Assim como meus colegas de concurso, enfrentei várias dificuldades até chegar à aprovação: manter-me focada nos estudos, apesar do cansaço de acumular essa rotina com o dia a dia de trabalho; privações na vida social e familiar; problemas de saúde; a perda de dois entes queridos durante o concurso – o pior de todos os desafios… No entanto, para mim, havia um dever de prosseguir e fazer parte dessa carreira de destaque na defesa da Constituição e das leis, na qual o Juiz, com independência, exerce um papel de liderançaética e de realizador da Justiça, o que sintetiza sua beleza.

6 – Deixe uma mensagem de incentivo aos alunos que ingressaram nessa desafiadora aventura de Preparação para o Concurso da Magistratura.

Minha mensagem de incentivo àqueles que estão se preparando é que somente um exercício de autoconhecimento será capaz de dizer se você pode ou não alcançar seu objetivo. Por isso, confiem em sua intuição e persistam. Não se impressionem com discursos que passem a impressão de facilidade no alcance da meta, tampouco deem ouvidos a falas derrotistas. Tragam uma dimensão ética para suas escolhas: trilhar o caminho para fazer o bem a si próprio, à sua família e à sociedade.Por fim, tenham certeza que alcançar a profissão para o qual estão inclinados espiritualmente lhes trará sentimento de coerência e paz interior.